A era digital é uma realidade latente. Não há como estender a modernização para amanhã, ela está acontecendo hoje. Assim, com o mundo cada vez mais tecnológico, a digitalização da educação será o próximo passo da migração do sistema educacional.

A transformação que provém do surgimento da internet e da popularização dos smartphones criou novas necessidades no mercado. Agora, o avanço das tecnologias está assumindo cada setor da sociedade, incluindo o setor educacional. 

A promoção do ensino, através da digitalização de seu conteúdo já era um processo que estava acontecendo. Mas, a pandemia acelerou este processo. Ela tornou os recursos educacionais digitais (RED) uma tendência global, principalmente em detrimento das novas gerações, que já nascem “nativos digitais”.

Desse modo, a dinamização e automatização dos processos, que antes eram realizados no básico papel e caneta, apresentam uma mudança na estrutura de qualquer instituição de ensino. 

A evolução interligada do ensino e da tecnologia

Promover a educação é um trabalho que demanda muito de seus profissionais. Como parte de um grupo seleto que molda o futuro da geração, as instituições de ensino devem se atentar a sua metodologia e como isso é transmitido para seus alunos. 

As novas tecnologias criaram diversas possibilidades nunca antes imaginadas nas salas de aula. Agora, professores e alunos desfrutam da inserção de recursos educacionais digitais (RED). Esses métodos visam dar suporte ao ensino, acomodando a Geração Z em um ambiente mais familiar a eles. 

A desenvoltura do pensamento crítico de crianças e adolescentes, agora, é realizada com o auxílio de vídeos, sites, jogos online, aplicativos, smartphones, tablets, computadores, realidade virtual, e tantas outras formas de incorporar a tecnologia no dia a dia deles. 

Para os imigrantes digitais, caracterizados como pessoas que não cresceram usufruindo da internet e seus avanços, sair do papel e caneta pode parecer um risco. Afinal, se funcionaram até aqui, por que não continuariam funcionando?

O pensamento é plausível, especialmente se levantarmos o fato de que, para essas pessoas, se adaptar aos novos tempos será um desafio. Mas, as novas tecnologias são um facilitador inegável de atividades rotineiras.

A transformação causada no meio acadêmico se provou uma grande aliada, e nos prepara para um futuro muito mais tecnológico e integrado. 

A digitalização da educação como uma necessidade de mercado

As tecnologias, seus meios de comunicação e o que elas geram de possibilidade no mundo ajudam a formar o perfil dos usuários e a cultura que os envolve. Assim, ao mesmo passo que eles mudam os indivíduos, eles também transformam os processos educacionais e o mercado de trabalho. Ademais, o mercado dita como os setores devem conduzir suas atividades. 

Assim, com a tecnologia sendo cada vez mais utilizada, e ampliando suas funcionalidades, elas passaram a ser uma obrigatoriedade na vida de qualquer cidadão.  Afinal, os habituados com o digital apresentarão boas capacidades que serão necessárias no futuro mercado de trabalho. 

Segundo um relatório da Gartner, disponibilizado em outubro de 2019, até 2023 o setor de educação pode receber recursos que chegam a até US $670 milhões. 

Com isso, vemos que uma série de investimentos serão feitos na educação e na digitalização de seus processos como forma de adaptar esse setor para as demandas futuras. Isso acontece pois faz parte das instituições de ensino prover capital humano qualificado para o mercado, e neste requisito o papel do digital na educação é indispensável. 

EduCAT e seu papel na digitalização da educação

O planejamento do uso dos recursos digitais já está presente no mercado graças a iniciativas como a da EduCAT. A empresa oferece para instituições de ensino aplicações de gestão que promovem a digitalização do ensino em suas diversas facetas. Ela busca promover a melhoria da qualidade de instituições, com a utilização de recursos pedagógicos avançados, apoiados em uma tecnologia inovadora.

As plataformas EduCAT visam integrar o ambiente acadêmico como um todo. Desse modo, a empresa oferece sua plataforma ERP, focada na organização dos processos internos da instituição de ensino. Ela hospeda em um único espaço diversas atividades que permeiam a vida de estudantes e professores, como: financeiro, atividades acadêmicas, protocolos, biblioteca, matrícula e importação de dados. 

Ademais, a empresa realiza a gestão de todas as etapas que envolvem o processo avaliativo desde banco de questões, encomendas e análises estatísticas. Complementar a esta fase, a EduCAT possui uma plataforma que permite a aplicação e o monitoramento de avaliações remotas e presenciais, realizadas no meio eletrônico. 

O processo de inscrição é outra plataforma oferecida. O objetivo é aprimorar a conexão entre universidade e candidatos em um processo que não pode ocorrer erros. Tais erros apresentam grandes riscos para aluno e instituição, podendo impossibilitar o candidato de atender e realizar sua prova.

A EduCAT também disponibiliza um sistema de correção das provas de larga escala, com diversos recursos de verificação de produtividade e assertividade durante o processo de correção.

Por fim, a empresa disponibiliza a emissão do diploma digital. Com a obrigatoriedade de regulamentar a emissão e os registros digitais dos diplomas acadêmicos, a EduCAT facilita esse processo de transição para as instituições de ensino, com uma plataforma que transmite segurança e possui validação de dados integrado ao MEC. 

Conclusão 

A digitalização da educação é um processo que já está acontecendo. Enquanto a Geração Z terá mais facilidade com o processo, os imigrantes digitais, que possivelmente compõem grande parte das equipes de gestão das instituições de ensino, deverão estar abertos a aprenderem o caminho que o setor deve tomar. 

A mudança não será momentânea. Ela está aqui para ficar, e moldará todo o escopo que envolve o sistema educacional. 

Assim, as instituições de ensino devem começar a abrir seus horizontes e explorar as facilidades que as novas tecnologias podem trazer para o corpo docente, colaboradores, gestores e alunos. Uma vez que todo o sistema estiver integrado, será possível ver com mais clareza que os processos se tornam mais fluidos, evitando entraves e complicações que, até então, eram inevitáveis.

Desse modo, gestores de instituições de ensino devem acompanhar essa transformação. E é nessa parte que a EduCAT entra para auxiliar os processos em busca da digitalização do ensino.

×